Olá Moçambique

ocupar o tempo com o que se passa em Moçambique

Standard Bank incrementa 6% de financiamento ao sector agrícola

Nos últimos três anos, o Standard Bank incrementou o seu financiamento ao sector agrícola em seis por cento, conforme foi revelado, no decurso do “Business Breakfast-Moçambique, Resiliência e Crescimento Sustentável”, promovido, quarta-feira, 17 de Novembro, em Maputo, por aquela instituição financeira, sob temática “Um olhar ao sector agrícola”, no País.
Para o banco, a agricultura constitui uma das prioridades da sua actuação, por representar um peso importante na economia do País, ao contribuir com cerca de 23,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), assim como empregar, aproximadamente, 80 por cento da população economicamente activa.
Entretanto, o Standard Bank entende que existem factores contraproducentes, que têm estado a afectar o desenvolvimento acelerado do agronegócio, razão pela qual pretende assumir-se cada vez mais como um parceiro relevante no apoio ao sector, tornando-o resiliente e sustentável a longo prazo.
“Temos estado a implementar uma série de medidas que já estão a surtir efeitos positivos, como o registo, nos últimos anos, do crescimento em seis por cento da carteira de crédito ao sector”, segundo referiu Miguel Correia, especialista do Agronegócio do Standard Bank.
Este, conforme enfatizou, é apenas um dos indicadores do comprometimento do banco para com o desenvolvimento da agricultura, uma vez que o seu envolvimento vai mais além do financiamento a projectos agrícolas: “Na nossa relação com os clientes, posicionamo-nos como um parceiro confiável, que adiciona valor multifacetado ao negócio”, frisou Miguel Correia.
Acrescentou que o propósito do Standard Bank é sustentar o desenvolvimento, incluindo os avanços alcançados, no sector, nos últimos anos, de modo a acompanhar a dinâmica do crescimento da agricultura, em Moçambique.
“Pretendemos continuar a ser um parceiro privilegiado para o crescimento sustentável, desenhar e disponibilizar soluções ajustadas às cadeias de valor de determinados produtos agrícolas”, indicou.
Por seu turno, Penny Byrne, investigadora dos indicadores climáticos do Standard Bank, uma das oradoras do evento, referiu-se às mudanças climáticas como um dos factores que vão afectar o desenvolvimento da agricultura no continente africano, particularmente em Moçambique.
A investigadora sustentou que o continente poderá experimentar um impacto maior sobre a actividade agrícola, caso a temperatura média, que já aumentou, entre um e dois graus celsius, aumente ainda mais um grau, nos próximos 20 anos.
Penny Byrne referiu ainda que se registou um aumento na intensidade das chuvas e dos ciclones, o que se tem manifestado na estiagem e cheias. A temperatura no continente africano subiu acima da média global, sendo que o último ano esteve entre os mais quentes registados no continente. O nível do mar aumentou em cerca de três centímetros entre 1975 e 2001, esperando-se que venha a aumentar entre 13 e 50 centímetros até 2090.
“Prevê-se uma redução do rendimento agrícola, entre 2 a 4 por cento, nas próximas décadas, afectando, sobretudo a produção da mandioca, mapira, amendoim, soja, entre outros, na região centro de Moçambique, onde as chuvas vão contribuir para a propagação de novas pragas", acrescentou aquela investigadora.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Informação

This entry was posted on 18 de Novembro de 2021 by in Moçambique.

Navegação

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 3.124 outros seguidores

Arquivos

%d bloggers like this: