Olá Moçambique

ocupar o tempo com o que se passa em Moçambique

B) Apesar das dificuldades: Sector de Transportes e Comunicações cresceu 2.3% no primeiro semestre deste ano

O sector dos Transportes e Comunicações registou um crescimento de 2.3% no primeiro semestre do presente ano, embora o seu desempenho tenha sido afectado negativamente por diversos factores, tais como a redução dos preços das "commodities" no mercado internacional, instabilidade político-militar que se vive na zona Centro, a seca nas regiões Centro e Sul, bem como as cheias que assolaram o Norte do País. Em 2015, o Sector cresceu em 9.8%, superando, deste modo, a cifra programada de 9.1%.
Entretanto, apesar deste crescimento, o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, intervindo na última sexta-feira, 15 de Julho, por ocasião do encerramento do XXXIV Conselho Coordenador, que teve lugar na cidade da Matola, província de Maputo, reiterou a necessidade de o sector continuar a inovar e investir de forma integrada e coesa, desenvolvendo acções que garantam o melhoramento do Produto Interno Bruto do pelouro.
Segundo Carlos Mesquita, o sector que dirige tem enormes desafios, com destaque para as prioridades definidas pelo Governo, inscritas no Plano Quinquenal do Governo (2015-2019) e no Plano Económico e Social de 2016, nomeadamente nos sectores da marinha, rodoviário, aviação civil, ferro-portuário, meteorologia e telecomunicações.
“Reiteramos a necessidade de agirmos com transparência nos nossos actos, promovendo a poupança e o controlo efectivo na execução do Plano Económico e Social de 2016”, referiu o dirigente.
No seu discurso, Carlos Mesquita apelou aos presentes à observância das medidas de austeridade, para fazer face à situação que o País atravessa. Mas para que tal surta os efeitos desejados, é necessário que “tais medidas sejam implementadas com rigor, determinação e responsabilidade”.
Contudo, alertou o ministro, tais medidas não devem impedir o cumprimento integral das obrigações e desafios do sector, sendo, por isso, imperioso que sejam considerados elementos da motivação dos quadros, principal activo das instituições.
Igualmente, é necessário assegurar que os cortes a serem feitos no âmbito da austeridade incidam sobre as despesas adiáveis, cujo impacto não compromete a implementação dos planos estabelecidos.
O Conselho Coordenador reiterou que apesar de todas as adversidades que caracterizam a actual conjuntura, o sector deve assegurar o cumprimento das metas planificadas; reestruturar as empresas do sector com vista à sua rentabilização; constituir uma equipe muiti–sectorial para uma reflexão sobre os pontos de entrada aeroportuários; implementar acções concretas para a redução da sinistralidade rodoviária e marítima; desenvolver acções para a melhoria dos serviços prestados ao público pelo INATTER; acelerar a implementação das acções definidas para a revitalização da cabotagem marítima; melhorar a mobilidade e oferta dos serviços de transporte público urbano; concluir a reabilitação da linha férrea Cuamba/ Lichinga Implementar os projectos de aumento de capacidade de transporte ferroviário, nas linhas férrea de Machipanda e Ressano Garcia Prosseguir com a reabilitação e expansão do Porto de Nacala, Fases II e III; prosseguir com a dragagem dos portos de Maputo, Beira e Quelimane e o aumento da capacidade de manuseamento do Porto da Beira; melhorar a oferta e qualidade do serviço de transporte aéreo. O Conselho Coordenador decidiu ainda pela expansão dos serviços de telecomunicações de banda larga para as zonas rurais; implementar a migração digital da radiodifusão analógica para digital, nos termos aprovados pela SADC; estudar a possibilidade da introdução de embarcações na travessia Machangulo/ Inhaca, entre outras.
Refira-se que o XXXIV Conselho Coordenador, que decorreu sob o lema “Transportes e Comunicações: Promovendo o Desenvolvimento do Capital Humano, Infra-estruturas, Logística e Serviços de Qualidade”, teve como objectivo reflectir sobre o desempenho do sector em 2015 e durante o primeiro semestre de 2016, assim como avaliar o grau de implementação e traçar estratégias para a materialização dos projectos prioritários, inscritos no Programa Quinquenal do Governo (2015-2019) e no Plano Económico e Social de 2016.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 19 de Julho de 2016 by in Moçambique.

Navegação

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.934 outros seguidores

Arquivos

Olá Moçambique

%d bloggers like this: