Olá Moçambique

ocupar o tempo com o que se passa em Moçambique

O apelo ao Autoemprego

A Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MTESS), Vitória Diogo, instou recentemente aos estudantes da Universidade Unilúrio a estudarem idealizando, quando concluírem os estudos, criar o auto-emprego, descartando, deste modo, a ideia de serem “eternos empregados”.

“Deixemos de pensar que estudamos para sermos, pura e simplesmente, futuros e eternos empregados, mas estudemos a pensar que podemos ser os futuros empresários do amanhã”, disse a ministra durante uma palestra para os estudantes daquela instituição de Ensino Superior do país.

A ministra, citada pela AIM, acrescentou que os estudantes devem ter a capacidade de aprender continuamente, visto que “as empresas sabem que é difícil, ou quase impossível, encontrar, no mercado do trabalho, um trabalhador pronto.

Por isso, procuram indivíduos que têm a capacidade de aprender de forma contínua”. “Tornem-se reinventores de vós próprios. Afinal, nós não somos criaturas acabadas. Devemos pensar que hoje fui bom, amanhã serei melhor. Devem fazer isso, actualizando os vossos conhecimentos”, apelou.

Na ocasião, a ministra defendeu que os estudantes com esta capacidade têm mais hipótese de empregabilidade. Ela incluiu, neste grupo, aqueles que, para além de dominarem bem a sua profissão, possuem uma boa educação que lhes permite adquirir novos conhecimentos e de acompanhar a “velocidade meteórica” do avanço das tecnologias e dos novos métodos do trabalho.

“No mundo em que vivemos hoje já não basta ou nunca bastou, ou já não é mais suficiente, termos apenas o diploma universitário. Mais do que o diploma, devemos ter conhecimentos e competências para resolvermos os problemas e desafios que no dia-a-dia nos são colocados profissionalmente”, aconselhou Diogo.

Segundo ela, os estudantes “devem se dedicar continuamente ao aprimoramento das suas capacidades ou adquirirem conhecimentos. Sabendo pensar, nós sabemos fazer”.

Mas a ministra entende que é igualmente necessário que os estudantes saibam conviver, “há muitos que têm dificuldades de saber conviver”.

“Deverão desenvolver competências de comunicação. Temos de saber falar e comunicar, pois a comunicação torna-te mais atractivo para o mercado de emprego. O novo paradigma do mercado de trabalho inclui, entre várias atributos, a adaptação proactiva, criatividade, a determinação e capacidade de arriscar, pois só arriscando é que podemos aprender”, disse.

Mais do que isso, a ministra destaca que “o carácter e fundamentos éticos são importantes. As empresas e organizações têm interesse por indivíduos com competências técnicas e qualidade moral, pois valorizam não apenas o que sabemos, mas também o que somos”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 14 de Outubro de 2015 by in Moçambique.

Navegação

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.934 outros seguidores

Arquivos

Olá Moçambique

%d bloggers like this: