Olá Moçambique

ocupar o tempo com o que se passa em Moçambique

Francisco Noa lança dois livros com editora Ndjira

O escritor moçambicano Francisco Noa lançou, terça-feira última, em Maputo, dois livros pela editora Ndjira, nomeadamente o inédito "Perto do Fragmento, a Totalidade" – olhares sobre a literatura e o mundo" e a reedição da "A Escrita Infinita" – ensaios sobre a literatura moçambicana.

As obras, cuja produção foi patrocinada pela operadora da cultura moçambicana, a mcel, foram apresentadas pelo académico Gilberto Matusse, numa cerimónia bastante concorrida, no Centro Cultural Português, na capital do País.

O livro "Perto do Fragmento, a Totalidade" apresenta três classes de textos, vários ensaios, textos de prefácios e apresentações de livros e artigos de opinião. Por sua vez, a obra "A Escrita Infinita" gravita à volta de leituras diversas, sobre o largo horizonte da interpretação de textos de vários conceituados escritores.

Abordado momentos antes do cerimónia de lançamento, Francisco Noa disse, relativamente à obra "A Escrita Infinita" que teve o cuidado de não mexer com o conteúdo da primeira edição: "Preferi manter-me fiel ao espirito do livro, porque o que acontece é que comecei a perceber que há muitas pessoas que procuram o texto dentro e fora do País e achei que seria de facto importante fazer a reedição, porque já não existe no mercado", explicou.

Por sua vez, "Perto do Fragmento, a Totalidade" insere-se um pouco na linha da "A Escrita Infinita", segundo conta Francisco Noa. Aliás, no fundo, conforme explicou, "fui escrevendo e lendo os livros e, sobretudo, também não me limitei a ler os livros mas também a ler a sociedade, porque alguns textos saiem do âmbito estritamente literário".

"São textos que têm a ver com aquilo que acontece na sociedade em geral, então isso prende o meu interesse e faço a interpretação desses fenómenos, pelo que o livro Perto do Fragmento, a Totalidade é uma miscelânea de diferentes géneros, nomeadamente a análise literária e textos de opinião em relação àquilo que se passa na sociedade e no mundo", frisou o escritor, ajuntando que "a minha ideia é estabelecer uma comunicação com a sociedade moçambicana e sobretudo apresentar os meus pontos de vista em relação à sociedade: é um espaço de diálogo".

Felícia Nhama, representante da mcel, disse acreditar que as obras lançadas pelo escritor Francisco Noa têm uma grande dimensão, podendo servir de um aprendizado muito bom para todos os moçambicanos: "Esperamos continuar a dar o nosso apoio no desenvolvimento e resgate da cultura moçambicana, dando voz a mais escritores, para que a nossa literatura continue em constante elevação", indicou.

Acrescentou que a mcel tem estado a desenvolver várias acções de responsabilidade social corporativa que incluem o apoio à cultura moçambicana, particularmente a literatura.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 14 de Maio de 2014 by in Moçambique.

Navegação

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.934 outros seguidores

Arquivos

Olá Moçambique

%d bloggers like this: