Olá Moçambique

ocupar o tempo com o que se passa em Moçambique

Mcel entrega 5 mil redes mosquiteiras ao MISAU

No âmbito das celebrações do Dia Mundial de Luta Contra a Malária que, este ano decorrem sob o lema "Invista no Futuro: Vença a Malária", a mcel-Moçambique ofereceu, na última sexta-feira, em Maputo, um total de cinco mil redes mosquiteiras ao Ministério da Saúde (MISAU).

O donativo visa apoiar as necessidades dos centros de saúde e unidades hospitalares em todo o País, no combate a esta doença, que afecta grande parte da população moçambicana, em particular as crianças e mulheres grávidas.

Dados de 2013 mostram que a malária, em Moçambique, foi responsável por 3.924 mil casos e 2.941 óbitos, números que constituem uma grande preocupação para o Governo, uma vez que podem influenciar negativamente no desenvolvimento do País, devido ao absentismo escolar e laboral, bem como a perda da mão-de-obra.

Intervindo no decurso das comemorações centrais do Dia Mundial de Luta Contra a Malária, ocorridas na capital do País, o administrador da mcel, Macsud Ismail, disse que "o apoio ao sector da saúde reveste-se de capital importância no domínio das acções de responsabilidade social corporativa da mcel, pois, dentre as várias áreas de intervenção esta merece cada vez mais atenção de todos no nosso País".

A parceria entre a maior operadora de telefonia móvel do País, conforme salientou Macsud Ismail, "perdura há longos anos e a mcel tem apoiado vários projectos neste sector, como forma de contribuir na resposta às diversas preocupações da saúde e garantir maior qualidade de vida dos moçambicanos".

Por sua vez, o ministro da Saúde, Alexandre Manguele, disse, na ocasião, que até ao momento já foram distribuídas mais de nove milhões de redes mosquiteiras tratadas com insecticidas e que a participação das empresas no apoio aos esforços do Governo para combater esta doença é muito importante, por isso incentivamos e encorajamos mais iniciativas como a que acabámos de testemunhar.

Porém, segundo sublinhou o governante, existe um desafio que se prende com o uso inadequado das redes por parte da população.

Relativamente ao tratamento desta doença, o ministro da Saúde disse que o País tem vindo a adoptar políticas cada vez mais eficazes baseadas em combinações terapêuticas com "artemisina", com o objectivo, não só de garantir a cura do doente, mas também de retardar o surgimento da resitência.

"Estas combinações terapêuticas têm sido associadas a estudos de resistência, efectuados de forma rotineira pelas nossas instituições de pesquisa em colaboração com o Programa Nacional de Combate à Malária", afirmou.

Importa realçar que as cerimónias centrais de comemoração do Dia Mundial de Luta Contra a Malária consistiram em actividades culturais, debate sobre desafios do futuro no combate à malária, para além das apresentações sobre a situação da malária em Moçambique e o papel da sociedade civil na luta contra este flagelo, feitas director nacional de Saúde Pública, Francisco Mbofana, bem como o Bispo Dom Dinis Sengulane.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 29 de Abril de 2014 by in Moçambique.

Navegação

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.934 outros seguidores

Arquivos

Olá Moçambique

%d bloggers like this: