Olá Moçambique

ocupar o tempo com o que se passa em Moçambique

Dois séculos vendendo arte

In revista Capital (http://www.scribd.com/revistacapital)

A arte é um negócio milenar. Os artistas precisam de se manter vivos para continuar a criar, daí a necessidade de vender a “alma”. A fábrica portuguesa Vista Alegre vem vendendo arte há dois séculos e acaba de expandir as suas actividades para Moçambique.

Os artigos de porcelana, cristal e vidro são um sucesso internacional e fazem do grupo Vista Alegre (VA) uma referência histórica e uma marca presente nos mais importantes espaços de venda do mundo. Com sede em Ílhavo, a Vista Alegre opera em quatro unidades industriais localizadas na região centro de Portugal.

Residências, estâncias turísticas, instituições públicas e privadas, representações diplomáticas usam e decoram os seus espaços com os produtos artisticamente produzidos pela fábrica portuguesa. As peças Vista Alegre brilham nas vitrinas de museus tão famosos como o “Metropolitan Museum of Art” de Nova Iorque.

A Vista Alegre possui actualmente 27 lojas em Portugal, marcando ainda presença em países como Espanha, França, México, Brasil, China, EUA, Angola e agora em Moçambique (com duas lojas). Os artigos da VA há muito que são consumidos no nosso país, mas a marca preferiu abrir, no final de 2012, uma representação em Maputo para consolidar a sua presença no mercado.

“Quem compra um artigo da Vista alegre, não compra apenas um produto de uso, mas também de arte e é o que nos proporciona distinção no mercado”, disse o presidente do Conselho de Administração da Vista Alegre Moçambique, António Jorge Costa.

Peça de arte une Mia a Chichorro

No intuito de premiar a excelência na produção artística internacional, a Vista Alegre lançou o projecto “1+1=1”, que consiste na criação de uma peça em homenagem a uma obra de autores reconhecidos em diferentes áreas. Em moçambique, esta iniciativa contou com a colaboração do escritor Mia Couto e do mestre Roberto Chichorro.

O desenho de Chichorro, que há 15 anos ilustrou o livro de Mia Couto "Mar Me Quer", foi recuperado para a produção de uma jarra da VA. A peça já é um sucesso e as suas unidades foram esgotadas aquando do seu lançamento.

“Vamos trabalhar muito para que os moçambicanos valorizem ainda mais a sua cultura e isto passa por promover o seu consumo”, adiantou António Jorge Costa, que promete envolver mais os artistas moçambicanos.

A Vista Alegre integra o portfolio de marcas do Grupo Visabeira, desde 2009, o que tem vindo a impulsionar a internacionalização da empresa, além de “reforçar a aliança com as artes” nos diferentes países onde actua. Mas o segredo do sucesso reside no facto do grupo contar com um centro de investigação de design atento às tendências do mercado e de ter a consciência de que a arte também é um negócio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 9 de Julho de 2013 by in Uncategorized.

Navegação

Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 1.934 outros seguidores

Arquivos

Olá Moçambique

%d bloggers like this: